Loading...

País asiático pune sexo entre gays com apedrejamento até a morte

O país do Sudeste asiático se torna o primeiro da região a adotar esse tipo de medida.


Brunei anunciou que vai punir sexo entre gays com apedrejamento até a morte. Com a decisão, o país do Sudeste asiático se torna o primeiro da região a adotar uma versão rígida da lei islâmica.


A medida entra em vigor na próxima semana e representa a guinada ao extremismo adotada pelo país administrado pelo sultão Hassanal Bolkiah. Embora tenha maioria muçulmana, a nação próxima da Malásia começou a prever penas como apedrejamento e amputação para casos de roubo e flagelação em 2014.


O ataque contra gays é inspirado na interpretação ultraoconservadora do sharia – sistema islâmico que impõe castigos corporais. As leis do novo código penal do Brunei se aplicam somente aos muçulmanos. O que não muda muita coisa, já que dois terços da população de 450 mil habitantes segue a religião islâmica. A notícia vinda do pequeno reino causou revolta entre entidades de defesa dos direitos humanos. As punições aplicadas pelo sultão foram classificadas como ‘perversas’.


País asiático pune sexo entre gays com apedrejamento até a morte


“É horrível. O Brunei imita os Estados árabes mais conservadores”, declarou Ryan Silverio, coordenador na rede Asean Sogie Caucus, que promove os direitos da comunidade LGBT+ em oito países do Sudeste asiático.


“A aplicação da sharia vai levar a penas severas contra as relações consensuais entre pessoas do mesmo sexo, incluindo o apedrejamento até à morte”, completou Silverio à CNN.


A Anistia Internacional manifestou consternação com o fato. Em 2014, ao lado da Organização das Nações Unidas (ONU), o órgão conseguiu o adiamento da segunda fase de mudanças no sistema de leis do Brunei. A primeira previa penas como multas ou prisão para mulheres que engravidem fora do casamento e quem faltar às orações de sexta-feira.


“A comunidade internacional deve condenar urgentemente a decisão do Brunei de pôr em prática estas penas cruéis”, pontuou Rachel Chhoa-Howard, investigadora da Anistia Internacional para o Sudeste asiático.


Fonte: Hypennes

Curiosidades 6978127342234679277

Postar um comentário

emo-but-icon

Página inicial item

RECENTES DO PORTAL RN